Londrina Previsão 17 29
X
25/10/2016 18:26

“Hipster” da Federal tira férias forçadas e pode ser afastado

O agente Lucas Valença, da Polícia Federal (PF), recebeu uma orientação da própria corporação para antecipar as férias. Ele virou alvo de comentários na internet – sobre o estilo da barba e do cabelo – depois de aparecer na quarta-feira da semana passada (19) na escolta do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), preso em Brasília.

A Federação Nacional dos Policiais Federais também cogita orientá-lo a pedir uma licença por tempo indeterminado, até que a situação volte ao normal. Valença foi chamado de “hipster da federal”, por conta do visual e das tatuagens.

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio de Araújo Boudens, desmente a informação de que Lucas Valença foi afastado da corporação. Ele explica que aconteceu uma transferência de cargo, antes de o agente tirar férias. Ele conta que a preocupação com a imagem dos agentes aumentou após a exposição do policial federal Newton Ishii – que também virou protagonista de escoltas da Operação Lava Jato e recebeu o apelido de “Japonês da Federal”.

“A gente tem essa preocupação tanto com a imagem da instituição quanto com a imagem pessoal. A gente já vinha trabalhando preventivamente, mas foi solicitado a ele que antecipasse as férias e está sendo estudada uma licença sem remuneração para que ele se afaste das funções”, afirmou.

No dia seguinte à prisão de Eduardo Cunha – quando a imagem de Lucas Valença circulou nas redes sociais – policiais federais fizeram a escolta do ex-presidente da Câmara usando a balaclava, espécie de touca que deixa a mostra apenas os olhos de quem a usa. Luís Boudens afirma que os agentes foram orientados a usar o material. Ele considera a atitude negativa. Apesar de se preocupar com a exposição exagerada, o presidente da federação aponta que existem pontos positivos, quando ela não representa risco para o trabalho ou para a integridade física dos policiais.

A Polícia Federal deve abrir um processo disciplinar contra o agente para investigar a conduta dele. Nesta segunda-feira (24) o agente participou de um programa de auditório, no Rio de Janeiro, quando já estava de férias. A corporação não teria recebido um pedido de autorização de Valença, o que desrespeita as normas internas da PF.

Paraná Portal