10/01/2017 14:52

Tabagismo custa mais de US$ 1 trilhão por ano

Número de mortes relacionadas ao tabaco deve aumentar de cerca de 6 milhões para cerca de 8 milhões anualmente até 2030

Seis milhões de pessoas morrem prematuramente todos os anos por causa do cigarro (Foto:  Leonhard Foeger/ Reuters)

Seis milhões de pessoas morrem prematuramente todos os anos por causa do cigarro (Foto: Leonhard Foeger/ Reuters)

O tabagismo custa à economia global mais de US$ 1 trilhão por ano e matará um terço a mais de pessoas anualmente até 2030, de acordo com um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, publicado nesta terça-feira.

O custo estimado supera amplamente as receitas globais com os impostos sobre o fumo, que a OMS colocou em cerca de US$ 269 bilhões em 2013-2014.”O número de mortes relacionadas ao tabaco deverá aumentar de cerca de 6 milhões de mortes para cerca de 8 milhões anualmente até 2030, sendo que mais de 80% delas vão ocorrer em países de baixa e média renda”, disse o estudo.

Cerca de 80% dos fumantes vivem nesses países, e embora a prevalência de tabagismo esteja caindo entre a população global, o número total de fumantes em todo o mundo está aumentando, disse. Especialistas em saúde dizem que o uso do fumo é a maior causa evitável de morte globalmente. “É responsável por provavelmente mais de 1 trilhão de dólares em custos de saúde e perda de produtividade a cada ano”, disse o estudo, revisado por mais de 70 especialistas.

Por outro lado, investimentos em políticas de controle do uso do tabaco, como aumento de preços e impostos, podem proteger as pessoas das doenças que mais matam no mundo (câncer e problemas cardíacos) e ainda ser para os governos uma fonte de receitas para saúde e desenvolvimento.

De acordo com o estudo, se os países banissem o marketing que incentiva o uso do tabaco e aumentassem os impostos de cigarros em US$ 0,80 por pacote, poderiam gerar um aumento em suas receitas em 47% ou US$ 140 bilhões. O aumento das taxas elevariam em 42% os preços de venda dos cigarros e estimularia o declínio do hábito de fumar para pelo menos 66 milhões de fumantes adultos.

Band, com informações da Reuters e da Agência Brasil